Revista Cafuka #03

Editorial

A Plataforma Cafuka, ao terminar o ano de 2019, lança um olhar para trás e analisa o estado da produção artística santomense feita dentro e fora do país.

Continuamos a observar e a mapear a produção dos artistas de origem santomense, procurando cada vez mais perceber e associar ideias relacionadas com migrações, comunidades, influências estéticas, identidades, empreendedorismo e inovação nas artes.

Num ano em que foram realizadas duas bienais em São Tomé e Príncipe e inúmeras representações em eventos expositivos internacionais, podemos dizer, embora com alguma reserva, que as artes plásticas santomenses estão no bom caminho, devido ao autoinvestimento que os autores fazem na sua produção e promoção. Constatamos porém que o estado santomense continua a não perceber que é importante dar maior atenção à arte e à cultura para que estas possam ser efetivamente um fator de desenvolvimento do país.

O grande desafio para a Pataforma Cafuka é saber gerir o conhecimento que tem sobre o estado das artes santomenses e procurar potencializar o seu crescimento.

 

Destaques

Zemé – “A arte não existe“
a Bialoborska e José Chambel

Alda do Espírito Santo
Zemé Gracias

Auto da Florípes – entre Neves no Minho e Santo António no Príncipe, uma narrativa intemporal?
Magdalena Bialoborska

Entre Fado e Batuque – uma diáspora agri-doce!
Olinda Beja

Espelho d’água
Adriano Eysen Rego

Os giros da Cultura num mundo global
Delmar Maia Gonçalves